O delegado Fábio Costa, coordenador da operação Cavalo de Troia juntamente com os delegados Thiago Prado e Cayo Rodrigues, que resultou na morte de 11 suspeitos na cidade de Santana do Ipanema, na última semana, divulgou nas primeiras horas desta segunda-feira (12) em suas redes sociais, as identidades e as funções que os suspeitos ocupavam na organização criminosa.

Segundo a PC de Alagoas, a quadrilha era formada por três núcleos: Alagoano -José Lutemberg Nogueira Santos, conhecido como Doutor, apontado como líder e principal articulador do núcleo alagoano; Carlos Alberto de Lima, o Coquinho, Adeildo de Souza Timóteo, o Del, e Adjane da Silva, o Jânio. De Pernambuco, vieram Josivan dos Santos Souza, o Vanvan de Petrolina, Adriano Souza Silva Junior, o Junior Preto, e André Luiz de Morais Lima. Os demais suspeitos foram identificados como Cristiano Romulo de Souza Rodrigues, o Rominho, Evandro de Paula Lima Silva, o Saulo Explosivista, Manoel Bezerra de Almeida, o Matuto, apontado como líder do bando interestadual, e Bruno Emanuel Batista Araújo, o Bruno de Angelim.
Ainda segundo a PC de Alagoas, os suspeitos possuíam extensa ficha criminal, além de desempenhar atividades bem definidas dentro da organização, como planejamento, logística, explosão, distribuição de armamento e explosivos, rotas de fuga, além de roubo de veículos que são utilizado na fuga
A polícia também divulgou imagens dos armamentos, explosivos, dinheiro, além de coletes e máscaras apreendidos na residência onde o bando estava escondido, supostamente para divisão do dinheiro roubado ao banco na cidade de Águas Belas.
A divulgação da imagens dos corpos dos acusados, seminus e amontoados provocou a reação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do deputado Paulo Fernando dos Santos (PT), que pediram esclarecimentos sobre a ação. A própria Polícia Civil de Alagoas designou uma comissão de delegados para investigar a ação.( com informações do alagoas24horas.com.br/1191188/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário