BLOG GARANHUNS ONLINE


 

BLOG GARANHUNS ONLINE

6/recent/ticker-posts 1

Casa da Cultura Luiz Gonzaga celebra seus 43 anos



Antiga Casa de Detenção do Recife se tornou equipamento cultural em 14 de abril de 1976 e conta com comemorações na próxima segunda-feira (15), a partir das 10h

Maior polo de comercialização do artesanato pernambucano, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga completa 43 anos de atividade como equipamento cultural no dia 14 de abril (domingo). A comemoração será na próxima segunda-feira (15), quando o espaço conta com uma programação especial, a partir das 10h, incluindo apresentação itinerante com o Trio Pé de Serra Beberibe, Serenata Luar de Olinda e corte do bolo comemorativo.

Localizado às margens do Rio Capibaribe, no bairro de São José, o prédio, gerenciado atualmente pela Secult-PE/Fundarpe, é um patrimônio histórico que abrigou a antiga Casa de Detenção do Recife até 1973. A partir de 1976, a construção se tornou a Casa de Cultura de Pernambuco, ligando a população à sua identidade cultural. “A valorização destas representações materiais retrata também a recordação de parte da nossa identidade, pois lembrar nossa cultura é também imortalizar o que somos. Nesse sentido, ao longo desses 43 anos, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga mantém viva e preservada a história do que um dia foi a Casa de Detenção do Recife, através da sua imponente construção do século XIX”, observa Juliana Rezende, que é responsável pela coordenação do espaço. 

“Nesses 43 anos, a Casa da Cultura se consolidou não só como um polo comercial, mas também como um endereço garantido para apresentações das manifestações culturais do nosso Estado. Através dos ciclos festivos do Estado, o equipamento faz um importante trabalho de difusão cultural quando recebe programações especiais, que destacam grupos e artistas da nossa cultura popular”, comenta o secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto. 

A Casa possui 129 celas em funcionamento, sendo 21 delas da Fundarpe (administração do equipamento, copa/cozinha, sala Jota Soares, Teatro Clênio Wanderley e a cela original); 90 celas voltadas para o comércio de artesanato, além de três restaurantes e duas lanchonetes; e 18 celas ocupadas por movimentos e associações culturais de Pernambuco. 

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, destaca o interesse público pelo endereço. “Com uma média de 3 mil visitantes diários em períodos de alta estação, o equipamento comemora essa data para reafirmar nosso compromisso com a acessibilidade e preservação do nosso patrimônio material e imaterial”, conclui ele. 

HISTÓRIA DO PRÉDIO

Inaugurada no dia 25 de abril de 1855, a antiga Casa de Detenção do Recife é uma das maiores edificações do século XIX, localizada próximo a duas expressivas obras desse século: a Estação Ferroviária do Recife e a Ponte 6 de Março (mais conhecida como a Ponte Velha). O projeto original é de autoria do engenheiro e urbanista José Mamede Alves Ferreira, responsável por outras obras importantes na cidade, como o Hospital Pedro II e o Ginásio Pernambucano. A construção de Mamede segue o modelo “panopticon”, obedecendo aos padrões tradicionais de segurança das penitenciárias da época.

Após funcionar por 118 anos como presídio, em 1973, o então governador Eraldo Gueiros Leite determinou o fechamento da Casa de Detenção do Recife. No mesmo ano, um plano de restauração do edifício foi elaborado e a partir de 14 de abril de 1976 o prédio se tornou a Casa da Cultura de Pernambuco.

Essa mudança de penitenciária para centro cultural havia sido idealizada e planejada cerca de dez anos antes, pelo artista plástico Francisco Brennand, na época em que era o chefe da Casa Civil do Governo do Estado. Convidados por Brennand, a arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi e o arquiteto Jorge Martins Júnior foram os responsáveis pela elaboração do projeto de renovação e adequação do edifício. A Casa da Cultura ainda abriga dois painéis do pintor pernambucano Cícero Dias, que representam a Revoluções Pernambucanas de 1817 e 1824. 

SERVIÇO
43 anos da Casa da Cultura Luiz Gonzaga
(Rua Floriano Peixoto, s/n, São José – Recife)

Programação gratuita:
10h – Apresentação itinerante com o Trio Pé de Serra Beberibe
16h – Serenata Luar de Olinda
16h30 – Corte do

Postar um comentário

0 Comentários