BLOG  GARANHUNS ONLINE

Na Reta Da Notícia WWW.BLOGGARANHUNSONLINE.COM.BR



Respeitando a tradição de sempre celebrar figuras expressivas da arte e cultura brasileiras, o 29º Festival de Inverno de Garanhuns anuncia o homenageado de sua edição 2019: o paraibano Jackson do Pandeiro que, nascido em 31 de agosto de 1919, tem seu centenário festejado este ano, em todo país. Honrar a memória e a arte de Jackson é reconhecer sua definitiva influência para a identidade de uma genuína música que nasce nas batidas do cancioneiro nordestino, mas com tal capilaridade que vai chegar em modos de cantar e tocar de artistas de seguidas gerações, movimentos musicais e territórios. A alcunha de Rei do Ritmo não foi uma mera estratégia mercadológica: o suingue, as batidas e as divisões vocais de Jackson foram tão decisivas quanto as impressas por outros grandes do ritmo, como Simonal, Toni Tornado ou Jorge Ben.

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundarpe confirma que um grande concerto está sendo montado para apresentar ao público do 29º FIG, que este ano acontece de 18 a 27 de julho, em 18 polos distribuídos pelo município de Garanhuns.

“Jackson foi um gênio da nossa música e a escola de ritmos que criou influenciou e continua a influênciar gerações de artistas. As divisões rítmicas que criou com a voz, somado às batidas do seu pandeiro, ao mesmo tempo a uma poética diversificada, lhe conferem uma sofisticação e um lugar de destaque no hall dos maiores nomes da MPB. É uma honra realizar o FIG 2019 tendo Jackson como homenageado, no ano do seu centenário”, destaca o secretário de Cultura de Pernambuco Gilberto Freyre Neto.

HISTÓRIA - Além do centenário, Pernambuco tem outro motivo bem especial para render homenagem a Jackson. Foi aqui no estado que o artista consagrou seu nome e estourou para todo país. Nascido José Gomes Filho, apesar da infância dura, brincava de ser artista desde pequeno. Criou um personagem de filme de faroeste, o bandido Jack Perry. Depois que o pai, o oleiro José Gomes faleceu, ele mudou-se com a mãe, a artista popular, cantadora de cocos Flora Mourão, para Campina Grande. Em Alagoa Grande, onde nasceu, já acompanhava Dona Flora em suas apresentações, tocando zabumba. Mas foi em Campina que começou a tocar pandeiro e o nome do Jack, seu personagem de infância, serviu bem para codinome artístico: virou Jack do Pandeiro.

Cinema e música eram o que dava alegria a Jackson. A feira da cidade era o endereço para se encontrar com os emboladores de coco e repentistas. Aos 17 anos, a arte falou mais alto e Jack finalmente foi tocar como percussionista do conjunto musical do Clube Ipiranga, em Campina Grande. Começou a fazer sucesso na cidade quando, já se assumindo como um artista solo, Jack do Pandeiro, começa a fazer dupla com José Lacerda, irmão mais velho de Genival Lacerda.

Antes de vir morar no Recife, passou um tempo em João Pessoa, onde tocou em cabarés e depois foi contratado pela Rádio Tabajara, atuando com o nome artístico de Zé Jack. A fama só crescia e, quando chegou ao Recife, em 1948, foi para trabalhar na Rádio Jornal do Commercio. Jack foi convencido finalmente a mudar o nome para Jackson do Pandeiro, que lhe conferia uma maior força sonora.

Foi em Pernambuco, em 1953, que Jackson, formando dupla com o já famoso Rosil Cavalcanti, gravou seu primeiro disco. O compacto 78 rpm, lançado pelo selo Copacabana, continha as músicas que lançariam seu nome para todo país: Sebastiana, de autoria de Rosil; e Forró em Limoeiro, de Edgar Ferreira. Foram muitos os feitos, os marcos, os discos, os sucessos. O que Jackson criou foi tão único e grandioso que permanece vivo, pulsante, irresistível. Salve Jackson do Pandeiro!( com informações cultura.pe)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

29° Festival de Inverno de Garanhuns aponta bons resultados na movimentação econômica


Foto: Nichole de Andrade e Hilton Marques — (Secom/PMG)

O 29° Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) movimentou a economia da cidade durante o mês de julho e beneficiou diretamente a população. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SDE) divulgou uma pesquisa realizada com 120 pessoas dos ramos de hotelaria, gastronomia, entretenimento e comércio, além do público no geral, e aponta bons resultados do evento.


Os números divulgados atestam a satisfação da população. De acordo com a pesquisa, 68% dos entrevistados acharam a programação ótima ou excelente. No quesito “Organização”, 74% considerou o FIG ótimo ou excelente. 


A rede hoteleira também foi movimentada durante o festival. Segundo o material levantado, houve um aumento de 83% de ocupação durante a festa. Com isso, 56% dos empreendimentos fizeram novas contratações. 


Na rede alimentícia, que engloba bares, lanchonetes e restaurantes, houve aumento de 60% no movimento e 34% dos estabelecimentos fizeram novas contratações extras, para o período do festival, com uma média de quatro por empreendimento, de acordo com dados repassados diretamente pelos entrevistados. 



A Casa das Artes, assim como outros empreendimentos turísticos culturais privados que agregaram a programação, vêm se consagrando anualmente como polo alternativo do FIG com 85% de satisfação dos comerciantes de alimentos e bebidas, com aumento de vendas de 100% em relação ao ano anterior (2018).


Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Motorista alcoolizado é detido com 103 Kg de maconha em São Caetano



Um homem, de 27 anos, que transportava 103 quilos de maconha em uma caminhonete roubada foi detido na segunda-feira (29), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR 232, em São Caetano, no Agreste de Pernambuco. O motorista estava sob efeito de álcool e havia saído de Petrolândia, no Sertão, com destino ao Recife.


O flagrante aconteceu no quilômetro 145 da rodovia, quando os policiais avistaram uma caminhonete trafegando a uma velocidade muito baixa. Ao abordar o motorista, os policiais perceberam que o homem apresentava sinais de embriaguez e constataram o índice de 0,47 mg/l no teste do bafômetro, que configura crime. Além disso, o condutor não possuía a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Durante a verificação, foram encontrados na carroceria da caminhonete fardos contendo a droga. Também foi descoberto que o veículo portava placas clonadas e havia sido roubado no dia 28 de maio, em Gravatá, no Agreste do estado.


O condutor foi detido e encaminhado junto com o entorpecente à delegacia de Polícia Civil de São Caetano, para a continuidade dos procedimentos legais. O crime de tráfico de drogas prevê pena de cinco a 15 anos de reclusão e multa.





Uso de simulador para obtenção de CNH será facultativo


Fonte agencia brasil 

Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (17) torna facultativo o uso de simulador de direção veicular no processo de formação de condutores, para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

As novas regras preveem, ainda, redução de 25 para 20, no número de horas-aula (h/aula) práticas nas auto-escolas, para a categoria B da CNH. No caso da categoria A, serão necessárias pelo menos 15 h/aula. Em ambos casos, pelo menos 1h/aula terá de ser feita no período noturno. Para condutores de ciclomotores, a carga horária mínima será de 5h/aula.

As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje – data em que a matéria foi publicada no DOU.

Em abril, durante reunião do Contran que definiu as novas regras, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as mudanças ajudarão a desburocratizar etapas do processo de formação do condutor. “As decisões foram fruto de muita reflexão e estão sendo tomadas com toda responsabilidade”.

Na oportunidade, ele argumentou que o simulador não teria eficácia comprovada. “Ninguém conseguiu demonstrar que isso tem importância para formação do condutor. Nos países ao redor do mundo, ele não é obrigatório, em países com excelentes níveis de segurança no trânsito também não há essa obrigatoriedade. Então, não há prejuízo para a formação do condutor”, disse.

De acordo com o ministro, a medida visa reduzir a burocracia na retirada da habilitação. Ele disse que a decisão vai estimar uma redução de até 15% no valor cobrado nos centros de formação de condutores.