Por Agencia Brasil

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, disse hoje (12), no Rio de Janeiro, que o valor de capitalização da Eletrobras, dentro do processo de privatização, “vai ser um número justo”, com repercussão positiva para os consumidores em termos de redução tarifária. 

Ferreira Júnior salientou que o princípio é que não haja ganho nem perda, porque é o mercado de capitais que vai comprar. Segundo ele, todo o procedimento tem que ser muito transparente para a sociedade brasileira. 

“O que você vem verificando nos últimos leilões é queda das tarifas. Independente da Eletrobras, há uma tendência muito clara de menores tarifas em energias renováveis”, disse. Para ele os processos têm que ser “mais positivos, isto é, mais baratos, para o consumidor”. E completou: “Não tenho dúvida que vai ter serviço melhor, com mais qualidade e menor preço”.

A estimativa é que a aprovação do Projeto de Lei 5.877/2019, que trata da privatização da Eletrobras, encaminhado pelo governo ao Congresso no último dia 5, ocorra no primeiro semestre de 2020, com a desestatização no segundo semestre, dando origem à criação de uma nova estatal privada, para gerir a Eletronuclear e a Usina de Itaipu Binacional, mais um conjunto de programas integrado pelo Luz para Todos, Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa).

O projeto de lei estabelece que um terço do valor adicionado vai ser feito para capitalizar a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Essa é a primeira vez que isso ocorrerá. Os dois terços restantes se referem à outorga e irão para o governo.
Saúde financeira

O presidente da Eletrobras esclareceu que a opção pela criação de uma nova companhia se deve ao fato de que o principal indicador da saúde financeira de uma empresa é o índice de alavancagem anual de geração de caixa. Isso significa que para uma empresa ser considerada saudável e possa se financiar junto a instituições como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ela não pode dever mais de três vezes a geração de caixa. “Acima de três, está muito endividada. O BNDES não financia acima disso e a Eletrobras, há três anos, estava com quase nove vezes a geração de caixa”.

Com a reestruturação a estatal. no terceiro trimestre deste ano o índice de alavancagem da Eletrobras chegou a 2,5 vezes a geração de caixa, o que a torna financiável. “Se está abaixo de três vezes, é financiável”, assegurou. Entretanto, para manter sua participação de 30,2% da capacidade instalada do mercado de geração de energia e de 47% do mercado de transmissão, a Eletrobras deveria investir entre R$ 12 bilhões e R$ 14 bilhões por ano.

Em 2019, ela investiu R$ 1,75 bilhão, para uma meta de R$ 4 bilhões. “Ela não consegue investir R$ 14 bilhões. Ela precisa ser capitalizada. Essa é a principal razão da capitalização”. A expectativa é que até o final do ano, a estatal invista mais R$ 750 milhões, o que totalizaria R$ 2,5 bilhões investidos no ano. Para 2020, a projeção é que os investimentos fiquem entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões.

Wilson Ferreira Júnior informou que existe um conjunto de propostas que vão ser apresentadas ao Conselho de Administração da Eletrobras para definir qual é o plano de alavancagem da companhia. O plano em vigor prevê investimentos em cinco anos de R$ 19 bilhões em geração e transmissão, o que dá uma média de R$ 3,6 bilhões por ano.
Descotização

A desestatização permitirá que a Eletrobras saia do regime de cotas e passe para produção independente, com maior liberdade de buscar mercado livre, em condições melhores de vender energia, pagando pelo risco hidrológico. “Essa saída do regime de cotas é boa para os consumidores”, avaliou. Lembrou que nos últimos cinco anos, a inflação atingiu 32% e as tarifas de energia subiram mais de 100%. “Mais da metade dessa variação se deve exclusivamente ao repasse dos riscos hidrológicos das cotas para os consumidores”. O processo de descotização tem previsão de acontecer no prazo de até dez anos, “para que tenha menos impacto ao consumidor”.

Ferreira Júnior afiançou que o passivo da estatal será transferido para a Eletrobras privada. Citou que das 54 maiores empresas de energia do mundo, 70% são corporações com reduzida ou nenhuma participação do governo. “A Eletrobras pode ser uma super corporação do mundo”, afirmou.

Das sete etapas previstas até efetuar a privatização da Eletrobras, excetuando a aprovação do projeto de lei no Congresso, as demais fases podem ocorrer em paralelo e de forma simultânea. São elas: a definição do modelo de privatização, pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI); a revisão da garantia física, pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE); o cálculo do valor de outorga/benefício econômico, pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE); a aprovação das condições de descotização das usinas prorrogadas e ao aumento de capital com diluição da União, ambas pela Eletrobras. As usinas geradoras de energia elétrica que tiveram suas concessões prorrogadas pela Lei 12.783/2013 têm regime de cotas de garantia de energia física e de potência.
Influências no lucro

Wilson Ferreira Júnior destacou que a privatização das últimas distribuidoras da estatal que davam prejuízo foi um dos fatores que contribuíram para que a empresa registrasse lucro no terceiro trimestre deste ano de R$ 716 milhões. Isso melhorou o resultado. No terceiro trimestre do ano passado, a empresa sofreu prejuízo de R$ 2,2 bilhões. Outro fator positivo foi a criação da Amazonas GT para fornecimento de gás para a Região Norte do país, já que a Eletrobras é geradora de energia naqueles estados. A pendência existente nesse campo entre a Eletrobras e a Petrobras impedia ter um preço fixo para o gás e a Eletrobras de vender adequadamente essa energia. A operação deu lucro à Eletrobras este ano. “Nós não tínhamos isso no ano passado e tivemos este ano”. O terceiro elemento que determinou o lucro foi a redução dos custos operacionais com pessoal e serviços de terceiros, entre outros.

O presidente da Eletrobras lembrou que a companhia tinha, há três anos, um quadro de pessoal com 26 mil pessoas. Hoje, esse número caiu para 13,7 mil. “E estamos caminhando para 12,088 mil até maio de 2020”. Esse número foi equacionado com os sindicatos, explicou. Com o mais recente Programa de Demissão Consensual (PDC), o total de funcionários deverá atingir 12,5 mil em janeiro do próximo ano. Não há outro plano de demissão voluntária previsto, destacou Ferreira Júnior.

No PDC atual, cujo período de adesão termina no próximo dia 14, 454 empregados já aderiram até ontem (11) e mais 547 estão em processo de adesão. A meta é desligar 1.681 colaboradores de todas as empresas do sistema: CGTEE, Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas, além da própria ‘holding’. De acordo com a companhia, o plano representará economia de R$ 510 milhões ao ano. Ainda com referência à força de trabalho, é esperada a rescisão de 1.041 terceirizados de Furnas, o que resultará em economia de R$ 280 milhões.

Wilson Ferreira Júnior anunciou que no próximo dia 14, a 175ª Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da companhia vai deliberar aumento de capital, com subscrição prevista no período de 18 de novembro a 17 de dezembro deste ano. O montante projetado vai do mínimo de R$ 4,054 bilhões até o máximo de R$ 9,987 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Goiana abre concurso para diversas áreas


Estão abertos três editais para provimento de vagas na Prefeitura de Goiana, com inscrições até o dia 29 de dezembro. Há oportunidade para procurador municipal, guarda municipal e para funções como professor, médico, agente administrativo, agente de trânsito, arquiteto, arquivista, cuidador, fisioterapeuta e dezenas de outras especialidades.

Para o concurso de Procurador, é oferecida uma vaga de início imediato e outras nove para cadastro reserva. A remuneração é de R$ 4.229,00. Os aprovados deverão cumprir a carga horária de 30 horas semanais. Os candidatos devem possuir ensino superior em Direito e inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

As inscrições podem ser feitas no site da banca organizadora (www.idib.org.br). A taxa vaira de R$ 65 a R$ 95,00.

Confira o link para acessar os editais e as inscrições, abaixo:

Procurador Municipal

Guarda Municipal

Demais especialidades

A Secretaria do Trabalho abre 1.190 vagas para cursos de capacitação profissional


Foto: reprodução/internet

A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação inicia, na próxima semana, a maior etapa de capacitação presencial deste ano, com inscrições já abertas para cursos gratuitos de capacitação em 37 municípios de Pernambuco. As ações de qualificação profissional irão beneficiar cerca de 1.190 trabalhadores e empreendedores. Desta vez, haverá foco nos setores da industrial, do comércio e de serviços, aproveitando o período de aquecimento da economia e das festas do final do ano. As aulas serão ministradas pelas Unidades de Educação Profissional do SENAC e as inscrições estão abertas. Veja todos os municípios abaixo e datas da aulas. As inscrições podem ser feitas através do endereço eletrônico: https://sistemas.seteq.pe.gov.br/sima/inscricao_login/

O programa da Seteq é intitulado de Novos Talentos e visa atender não só à captação de demandas das empresas e polos em desenvolvimento e expansão por mão de obra qualificada, mas também fortalecer públicos específicos, de modo a preparar o trabalhador considerando a vocação econômica da região, levando em conta o perfil dos trabalhadores, suas vulnerabilidades e potencialidades. 

“Pernambuco vem crescendo muito e o mercado de trabalho está mudando todos os dias. É importante que as pessoas que já estão empregadas se qualifiquem e se mantenham atualizadas com essas mudanças profissionais. Para quem ainda não encontrou um espaço no mercado de trabalho, acredito que o momento de buscar crescimento profissional e pessoal pode ser agora”, declarou o secretário do Trabalho, Alberes Lopes. 

As capacitações são realizadas de formas presenciais, com conteúdo teórico e prático e carga horária que varia de 15 a 40 horas/aulas. Dentre as áreas, estão os cursos de: Preparo de doces e salgados; Confecção de elementos decorativos para festas; Técnicas de Vendas; Design de sobrancelhas; Comida de Botequim; Drinques e Coquetéis; Qualidade no atendimento ao turista; Técnicas de Recepção em Meios de Hospedagem; Artesanato com material reciclado; Embalagens artesanais; Primeiros Socorros; Aperfeiçoamento para Garçom e Boas práticas na manipulação dos alimentos.


Veja os municípios beneficiados

Afogados da Ingazeira
Altinho
Arcoverde
Barra de Guabiraba
Bezerros
Bom Conselho
Bonito
Cabo de Santo Agostinho
Camaragibe
Camocim de São Félix
Caruaru
Cupira
Custódia
Dormentes
Floresta
Garanhuns
Itaquitinga
Lagoa dos Gatos
Nazaré da Mata
Olinda
Palmares
Paulista
Petrolândia
Recife
Ribeirão
Rio Formoso
São Caetano
São José da Coroa Grande
Serra Talhada
Sirinhaém
Surubim
Tacaimbó
Tamandaré
Taquaritinga do Norte
Timbaúba
Toritama
Triunfo

Operação da PRF erradica 117 mil pés de maconha no Sertão de Pernambuco


Uma operação intitulada Macambira IV erradicou 117 mil pés de maconha, entre os dias 25 a 30 de novembro, em Orocó e Cabrobó, no Sertão de Pernambuco. A ação contou com o apoio de um helicóptero e foi realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em conjunto com o Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil.

Durante a operação, a aeronave da PRF localizou diversas roças de maconha localizadas em ilhas do Rio São Francisco. As plantações destruídas poderiam produzir até 9,6 toneladas da droga pronta para consumo.

Além dos pés de maconha, foram destruídas mudas e equipamentos utilizados no plantio da droga. As equipes realizaram diversas buscas nos locais de plantio, mas ninguém foi localizado.

Participaram da operação o Setor de Operações Especializadas e o Grupo de Policiamento Tático da PRF, em conjunto com equipes do Denarc da Polícia Civil de Pernambuco.

Entre janeiro a novembro deste ano, a PRF erradicou 450 mil pés de maconha, que poderiam produzir 35 toneladas da droga. As ações se concentraram no Sertão de Pernambuco e foram realizadas em conjunto com as polícias Civil e Militar do estado.




ALERTA CELULAR: SAIBA COMO USAR



Sabe por que é importante cadastrar seu telefone no Alerta Celular? É que, quando se registra o IMEI (número de identificação do aparelho), a polícia pode encontrar seu telefone se ele for roubado, devolvendo-o para você.


Funciona assim: depois que você se cadastra, a SDS fica com os seus dados e os do celular registrados no sistema. Quando a PM aborda algum suspeito, pode verificar por um aplicativo, na hora, se o celular foi roubado e quem é o seu verdadeiro dono.

Mas, atenção: o Alerta Celular não é um sistema de rastreamento. Ele serve para ajudar as Polícias Civil e Militar nas investigações e abordagens, recuperando os aparelhos cadastrados.

Para as polícias restituírem cada vez mais celulares, você precisa registrar o Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima e informar o IMEI. Cruzando as informações do BO e do Alerta Celular, fica mais fácil encontrar o seu telefone se ele estiver com algum suspeito de roubo, furto ou receptação.

ANOTE O IMEI - Não sabe qual é o IMEI do seu celular? É só digitar *#06# no seu telefone e anotar o número que aparece na tela. Essa sequência numérica também está impressa na caixa do celular.

Depois, cadastre-se aqui no Alerta Celular e deixe seu aparelho mais seguro.

Avise sua família e seus amigos, compartilhe esta informação!

Fonte SDS

Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,3 anos


Por Agencia Brasil

A expectativa de vida ao nascer no Brasil subiu para 76,3 anos em 2018, segundo informações divulgadas hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2017, a expectativa de vida era de 76 anos, ou seja, aproximadamente três meses a menos do que em 2018.

A pesquisa Tábua de Mortalidade 2018 só será divulgada às 10h, mas as informações básicas da pesquisa já foram antecipadas no Diário Oficial da União de hoje.

Redemoinho assusta moradores de Condado.



A população da cidade de Condado, na Mata Norte, foi surpreendida por um fenômeno meteorológico na manhã do sábado (23). Com o tempo seco na região, um redemoinho se formou e pôde ser visto se deslocando na Avenida Manoel de Moura Neto, no centro do município. Moradores registraram o episódio em vídeos publicados nas redes sociais.

Celular explode e homem sofre queimaduras pelo corpo

Por Agencia Brasil

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou, em nota divulgada nesta terça-feira (12), que o governo federal está destinando R$ 144 milhões para assegurar a execução de serviços do Projeto de Integração do Rio São Francisco e outras obras que garantirão o abastecimento da população nos estados de Pernambuco, do Ceará, da Paraíba e de Alagoas. Com esses recursos, os investimentos em projetos para reforçar o abastecimento de água no Nordeste somam R$ 1,4 bilhão em 2019.

O montante contabiliza investimentos para operação e manutenção da transposição do Rio São Francisco nos dois eixos do projeto (Norte e Leste), a recuperação de reservatórios considerados estratégicos e outras obras para ampliar a oferta de água na região. As primeiras obras da transposição foram iniciadas em 2007 pelo Exército.

O Eixo Norte é um canal de 400 quilômetros que faz a captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (oeste de Pernambuco) para alimentação dos rios Salgado e Jaguaribe, com a finalidade de levar água a reservatórios no Ceará, no Rio Grande do Norte e na Paraíba. No Eixo Leste, o canal, que tem mais de 200 quilômetros, leva água ao Rio Paraíba para abastecer reservatórios em Pernambuco e na Paraíba.

Além de viabilizar o fornecimento de água, a execução das obras gera emprego na região. Em Pernambuco, foram aplicados R$ 24,2 milhões no Ramal do Agreste (Eixo Leste), que emprega 2,6 mil trabalhadores. Só no estado, a obra leva águas do São Francisco “a mais 2,2 milhões de pessoas em 68 municípios”, informa o MDR.

Também este ano, os investimentos somam cerca de R$ 77 milhões no Cinturão das Águas do Ceará (CAC). “A expectativa é que, no primeiro trimestre do próximo ano, a água esteja disponível no Reservatório Jati (...) beneficiando os municípios abastecidos pelo Rio Jaguaribe e a Região Metropolitana de Fortaleza - cerca de 4,5 milhões de pessoas”, diz a pasta.

Já o Canal do Sertão Alagoano totaliza R$ 84,1 milhões de investimentos em 2019. Os recursos visam ao funcionamento de um sistema adutor (transporte da água) com captação no reservatório da Usina Hidrelétrica de Moxotó. De acordo com descrição da pasta do Desenvolvimento Regional, essa estrutura parte do município de Delmiro Gouveia e segue até a cidade de Arapiraca “e atenderá mais de 1 milhão de moradores em 42 municípios alagoanos”.

Na Paraíba, o projeto Vertente Litorânea totalizará R$ 36,3 milhões do ministério em 2019. Esse sistema adutor vai integrar bacias litorâneas com as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco disponibilizadas no Rio Paraíba, após abastecer o Reservatório Epitácio Pessoa, em Boqueirão, na Paraíba. “Quando concluídas, as obras irão beneficiar uma população de 630 mil habitantes, com abastecimento humano e água para irrigação e indústria”, prevê o MDR.