Um Viva à Liberdade! Nunca um tema do Festival de Inverno de Garanhuns ecoou tanto, atingiu e mobilizou tantas pessoas, entre público e artistas, como nesta 28ª edição. O FIG 2018 chega ao fim neste sábado (28) lembrando ao povo brasileiro sobre a importância da luta constante pela liberdade de expressão artística, religiosa, política, sexual e de pensamento, como caminho para construirmos uma sociedade tolerante, solidária e desenvolvida.

Esta edição do FIG termina confirmando sua grandiosidade artística e consolidando-se como o maior evento de artes do País no formato que garante programação de todas as linguagens durante os dez dias, todos os dias. Um evento poderoso, que impulsiona a economia local e regional ao movimentar o comércio de bens e serviços como os da rede hoteleira, superlotada ao longo de todo o Festival. 

"O FIG se afirma como um grande espaço de confraternização, alegria e prazer genuíno entre as pessoas, como um caldeirão gigante que reflete a diversidade da cultura e da alma do povo brasileiro, marca maior do Festival", comemora o Secretário de Cultura de Pernambuco, Marcelino Granja. "Mesmo diante de uma situação econômica e política difícil, o Governo do Estado garantiu, com o mesmo investimento de 2017, uma edição maior em termos de público e programação", continua o secretário, destacando que o FIG "venceu o ambiente político que pressiona a sociedade brasileira para o sectarismo e a intolerância, consagrando o Festival como um espaço de luta pela liberdade e pela expressão das mais diversas visões de mundo que conviveram nas ruas, praças, parques e ambientes públicos e privados em paz, alegria e segurança".

Marca maior do FIG, a programação diversa propicia múltiplas vivências e avaliações. Muitos só curtiram o Palco Instrumental, outros, os espetáculos teatrais no Souto Dourado, por exemplo. Teve a beleza da Catedral, a mistura do Palco Pop e do Forró, tudo se concentrando na Praça Mestre Dominguinhos, comenta Marcelino, reforçando a grandiosidade do FIG. Finalizando o balanço que faz desta edição, Marcelino Granja destaca que "o Festival se afirma como uma necessidade da política cultural do Estado e que esta 20ª edição venceu as pressões que marcam o atual momento do país, o oportunismo político eleitoral de forças opositoras ao FIG e não refletiu apenas uma visãode mundo, pelo contrário, reafirmou-se gigante em sua diversidade e garantiu a livre expressão de artistas e também do público em todos os polos".

Ao longo dos dez dias de programação, milhares de pessoas viveram um intenso mergulho no que há de mais rico, diverso e urgente em todas as linguagens artísticas. "Fizemos um edição que vai entrar para a história do Festival como aquela em que os temas da tolerância, da democracia e do respeito à diversidade ganharam mais destaque. Vimos isso em todos os polos, em momentos marcantes como o show histórico de Nação Zumbi e Emicida; a Mesa de Glosas com poetisas e a apresentação do grupo Transborda na Praça da Palavra; a performance do grupo Hip Hop Mulher no Som na Rural e o desabafo emocionado do rapper Tiely Queen, em plena praça Mestre Dominguinhos; e tantas outras ações que evidenciaram o espaço largo que o FIG abriu para a promoção da liberdade artística e da diversidade do povo brasileiro", celebra Márcia Souto, presidente da Fundarpe.

Ressaltando o grande público em todos os polos e a alegria que se viu pelas ruas, praças e parques de Garanhuns, Márcia define o Festival como "um espaço plural, participativo, de resistência cultural e promotor de encontros que enriquecem todos os fazeres artísticos, um evento que precisa acontecer sempre e ser cada vez mais defendido por todos que acreditam na arte e na cultura como promotores do desenvolvimento humano e de transformação social". Entre os destaques da programação, também estiveram presentes todas as expressões da nossa cultura popular e ainda de 10 mestres e grupos considerados Patrimônios Vivos de Pernambuco: Cavalo Marinho Estrela de Ouro de Condado, Gonzaga de Garanhuns, Maestros Duda e Ademir Araújo, a Sociedade Bacamarteiros do Cabo, a Banda Curica, Índia Morena, Caboclinho 7 Flexas e o Homem da Meia Noite.

Além das ações de formação cultural, que alcançaram 292 pessoas todas as idades, e das edições do projeto Outras Palavras, que levaram artistas da música como Silvério Pessoa, Maestro Forró e Quinteto Violado para escolas do Agreste, o coordenador executivo e artístico do FIG, André Brasileiro, destaca ainda a realização da Plataforma FIG 2018. "Foi um encontro muito rico, que reuniu dezenas de músicos e produtores culturais do Estado com curadores, distribuidores e jornalistas especializados do País, em momentos de troca de informações sobre o mercado da música, as políticas públicas para o setor e novas tendências nesta área", comemora André.

SHOWS



Bom indicador do volume de pessoas que frequentaram os polos de música do FIG, a Praça Mestre Dominguinhos recebeu um público imenso durante todos os dias de shows. Confira o número de pessoas que compareceram ao polo, por dia:



Sexta-feira (20): 13 mil 

Sábado (21): 25 mil

Domingo (22): 18 mil

Segunda-feira (23): 12 mil

Terça-feira (24): 30 mil 

Quarta-feira (25): 15 mil

Quinta-feira (26): 30 mil 

Sexta-feira (27): 25 mil

Sábado (27): 35 mil



ARTES CÊNICAS



Nove espetáculos circenses fizeram 10.360 crianças e adultos sorrirem no Parque Euclides Dourado. Até a sexta-feira (27), mais de 4.100 pessoas já tinham assistido a algum dos espetáculos de Teatro Adulto do FIG 2018; e 600 conferiram as peças de Teatro Infantil. A Mostra de Teatro Alternativo do FIG está consolidada na programação do Festival e, nesta edição, foi aplaudida por cerca de 900 pessoas. Intervenções de teatro de rua também chegaram às comunidades quilombolas do Castainho e de Estivas, comunidade do Magano, mercado e feiras públicas de Garanhuns, além do centro da cidade, animando a rotina do comércio local.



A dança também foi destaque da programação e ocupou dois palcos da cidade, o Teatro Luiz Souto Dourado, que acolheu 04 espetáculos assistidos por 505 pessoas; e o Salão Jaime Pinho (SESC), que recebeu a primeira Mostra de Dança Contemporânea do FIG, composta por 05 espetáculos conferidos por 520 pessoas.



ARTESANATO



Os 20 estandes de artesãos pernambucanos montados pela Secult-PE e Fundarpe no Armazém da Arte e Negócios registraram faturamento superior a 35 mil reais, através da venda de mais de 1.300 peças. A comercialização nos 56 estandes montados pelo SEBRAE também foi intensa e o volume de negócios será divulgado nos próximos dias.


GALERIA GALPÃO


Mais 2 mil pessoas assinaram o livro de visitação da Galeria Galpão do FIG 2018. O polo das artes visuais, do design, da moda e da fotografia recebeu visitantes de diversos municípios pernambucanos; de estados brasileiros como Paraíba, São Paulo, Alagoas, Minas Gerais, Ceará, Bahia, Distrito Federal, Santa Catarina, Sergipe, Acre, Rio Grande do Norte, Paraná, Rio Grande do Sul; e de países como Chile, Argentina e Estados Unidos.


Empreendimentos criativos que ocuparam a casa também comemoram o sucesso das vendas. As marcas integrantes do mercado criativo instalado no local registraram um valor aproximado de 15 mil reais em vendas. Serviços de barbearia e hair style renderam aos empreendedores um retorno financeiro de aproximadamente 2 mil reais em seis dias.


GASTRONOMIA



A Gastronomia se consolida na programação do FIG. O principal aspecto deste ano foi levar o público visitante a refletir a estreita conexão entre Gastronomia e Cultura. Os temas abordados foram amplamente aprofundados e aclamados pelos convidados e público em geral. Cerca de 700 pessoas visitaram o polo, que teve como destaques a cozinha show, vivência com as loiceiras e debates.


DEPOIMENTOS



Gonzaga de Garanhuns (Mestre de Reisado e Patrimônio Vivo de Pernambuco)

Eu tô muito feliz porque estou vendo o Reisado chegar a um lugar que eu sempre sonhei, porque hoje vejo que ele está sendo valorizado. Me apresentando em lugares como o FIG percebo que o Reisado já tá caindo na graça dos jovens e das crianças. Eu quero é a cultura para o povo garanhuense, amo me apresentar na minha cidade, onde só me apresento no FIG e no Natal. Este Festival de Inverno trouxe alegria para Garanhuns e para o nosso Agreste. Eu sempre vivo o festival e faço questão de participar, todos os anos, nas ruas. E vivi grandes experiências aqui! O Festival de Inverno de Garanhuns leva a nossa cultura ao conhecimento, não só do Estado de Pernambuco, mas também de todo o Brasil e do mundo!

Teresa França (Conselheira de Política Cultural do segmento Matriz Africana) 

A participação do Conselho Estadual de Política Cultural no FIG é inovadora. Essa foi a primeira vez que o Conselho, com a máxima representação da Sociedade Civil, esteve presente aqui no Festival. Nós realizamos uma metodologia de pesquisa com os artistas da programação na qual montamos um protocolo com três grandes questões. Qual o significado do FIG para a cultura pernambucana? Como o Festival tem contribuÍdo para a consolidação das diversas agremiações e manifestações culturais? De que forma o Festival de Inverno de Garanhuns tem contribuído para materializar essa política cultural de Pernambuco? O FIG é um encontro grandioso, com diversas possibilidades culturais, e esse trabalho que desenvolvemos será sistematizado e entregue à Secult-PE e para a sociedade em geral. Quero destacar, por fim, o acolhimento e o respeito da organização deste Festival conosco. Fomos muito bem atendidos e aceitos porque fizemos um trabalho comprometido com a cultura pernambucana.



Vanessa da Mata (cantora)

Eu me sinto sempre muito bem aqui, do começo até o fim. Desde a chegada até o final. Eu sou apaixonada pelo Nordeste e sou apaixonada por Pernambuco, por toda essa libertação cultural, a continuidade da cultura de uma maneira mais forte.



Tiné (cantor)

O FIG é um festival referência em Pernambuco e no Brasil. Eu já tinha tocado aqui várias vezes com a Academia da Berlinda e com a Orquestra Contemporânea de Olinda, e poder chegar no festival pela primeira vez com o meu trabalho solo me deixa feliz demais. Eu sonhava com esse momento!



Tonfil (artista plástico e cantor)

O FIG e uma vitrine privilegiada para propagação local e nacional de trabalhos artísticos, pelo grande número de pessoas, artistas, e produtores de informação que circulam por aqui. É muito bacana expor o meu trabalho na Galeria Galpão, o “Memorial de Mãos Sem Memória”, que é uma tentativa de escrever de alguma forma um novo capítulo sobre a história social da cana de açúcar no Nordeste, uma história que privilegiou alguns atores e silenciou tantos outros.



Diogo Nogueira (cantor)

Aqui estamos no 28º Festival de Inverno de Garanhuns e acho que umas quatro ou cinco vezes tentaram me trazer pro FIG, e acabou não acontecendo. Mas felizmente dessa vez a gente conseguiu e eu estou muito feliz com o show porque o povo de Pernambuco me recebeu com muito carinho, cantaram todas as minhas músicas. Não sabia que aqui era tão reconhecido com meu trabalho. Agora eu espero voltar em breve e poder cantar e trazer mais alegria às pessoas desse estado e de Garanhuns.



Siba (cantor)

Eu fico muito feliz por ter participado do Festival de Inverno de Garanhuns este ano com a Fuloresta, apresentar os mestres e a cultura da Mata Norte. É muito emocionante fazer este show aqui, tocar num palco grande, na sua terra, em uma cidade que eu tenho família e que cresci aqui também. Então, são muitas emoções participar no Festival de Inverno de Garanhuns.



Isaar (cantora)

São 28 anos do Festival de Inverno de Garanhuns. Eu perdi as contas de quantos FIGs eu já fiz, seja com meu projeto solo ou com outras bandas... É muito bom sempre vir pro FIG. Eu acho super importante para a carreira da gente e até para a história do festival, que já fazemos parte. E, para mim, é uma honra sempre estar no Palco Dominguinhos, e voltar aqui com a Orquestra Santa Massa, que é um fusão de todos os nossos trabalhos. Aqui tem um público que está muito disposto a conhecer coisas novas. É muito raro encontrar um público como o do FIG!



Maciel Salu (cantor)

Eu sempre falo que o Festival de Inverno de Garanhuns é um festival democrático, onde você encontra todos os ritmos, seja aqui no Palco Mestre Dominguinhos, Som na Rural, Forró, tem música, tem dança, tem teatro... Então, pra gente tocar aqui é maravilhoso. É onde temos a oportunidade de mostrar a nossa música. É um lugar onde tem muita gente da cidade, gente que vem de fora para conhecer essa belíssima cidade. E ela está se destacando. A gente vai para vários palcos e está tudo sempre lotado, vários públicos e vários artistas mostrando seu trabalho. Em especial, o Palco da Cultura Popular, que tem dado cada vez mais espaço para os mestres da cultura popular mostrarem nossa cultura.



Jam da Silva (cantor)

É uma grande alegria estar participando do FIG. A gente roda o mundo todo, fazendo show em outros festivais, e esse público daqui é muito caloroso! É um público que só existe aqui e isso alimenta a gente que está lá em cima do palco tocando. Viva o FIG!



Bruno Albertim (jornalista e escritor)

Fiquei muito contente de trazer o lançamento desse livro (Tereza Costa Rêgo - Uma Mulher em Três Tempos) para Garanhuns. Eu adoro essa cidade e venho muito para cá como público e como repórter, então, é uma delícia trocar de lado do balcão: deixar de estar cobrindo para fazer parte também da programação oficial. Acho que o FIG é uma grande vitrine, porque ele sinaliza muita coisa. Nesse festival já vi muita coisa nova que está sendo pensada e arquitetada em matéria de cultura, tudo isso acaba pautando meus interesses artísticos ao longo do ano.



Daniela Mercury (cantora)

Pernambuco é um lugar realmente mágico e o FIG é um festival incrível com essa riqueza artística que o Estado já acolhe no Carnaval e acolhe também no inverno. Achei esse tema da liberdade essencial, porque não existe arte sem liberdade. A arte é uma forma da gente pensar com independência.



Xênia França (cantora)

Acho que Pernambuco é um dos Estados que mais tem uma movimentação de valorização da própria cultura. Isso é uma coisa impressionante em um país enorme como a gente tem. É um trabalho de raiz, por isso, acho importante vir pra cá e poder oferecer o meu trabalho, fazer parte disso e poder contribuir com a minha música para uma cultura tão rica como a que vejo aqui. Sempre ouvi falar no FIG, essa é minha primeira vez aqui e tô achando uma festa riquíssima. Desejo vida longa!



Filipe Catto (cantor)

Tenho uma relação muito viva com os artistas de Pernambuco, tenho muitos amigos da cena do Recife e acho que esse Estado tem uma cultura incrível. Tem uma relevância histórica para música, cinema e teatro. O show que fiz no Palco Pop, em 2014, foi um dos mais lindos da minha vida, nunca me senti tão abraçado pelo público. Foi um encontro de muito amor e hoje estou muito emocionado de estar de volta. Poder vir para esse palco sagrado em uma noite que fala de ser o que a gente é, com colegas de muita resistência, é um privilégio gigante.


Pedro Luís (cantor)

Eu acho incrível esse festival tão diverso e existindo com tanto vigor. É um exemplo para o Brasil seguir. Poder trazer uma homenagem a Luiz Melodia, que foi uma referência tão importante, em um palco desses, dividindo a noite com tanta gente boa, para mim, é um orgulho.


Gonzaga Leal (cantor)

É super importante trazer essa homenagem a Dalva de Oliveira para cá. Acho que é o máximo para qualquer artista. Eu me sinto muito agradecido de ter essa oportunidade de mostrar esse show aqui, porque é uma experiência muito rara.


Assessoria de Comunicação
Secretaria de Cultura de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mapa 3D terra

Mega-Sena acumula e próximo prêmio vai a R$ 13,5 milhões


Por Agencia Brasil

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.208 da Mega-Sena, realizado nesse sábado (16) em São Paulo. O próximo concurso deverá pagar R$ 13,5 milhões. As dezenas sorteadas foram 16, 25, 30, 40, 45 e 49.

A quina teve 17 ganhadores e cada um receberá R$ 113.415,57. A quadra teve 1.708 acertadores e pagará o prêmio individual de R$ 1.612,63.

O próximo concurso (2.209) será quarta-feira (20). As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica ou pela internet.

Papa Francisco almoça com moradores de rua






Por Agencia Brasil

As comemorações do 3º Dia Mundial dos Pobres comecaram neste domingo (17) com uma missa na Basílica do Vaticano, celebrada pelo papa Francisco. Na homilia, ele lembrou que os pobres facilitam o acesso ao céu”, e que devemos estar ao lado deles para aprender pois “são preciosos aos olhos de Deus, porque não falam a linguagem do eu”.

O papa agradeceu a todos aqueles que, nas dioceses e paróquias de todo o mundo, promovem iniciativas de solidariedade para dar esperança concreta às pessoas mais desfavorecidas. Também pediu orações pela sua próxima viagem à Tailândia e ao Japão, que começa na próxima terça-feira (19) e vai até o dia 26.

O papa almoçou na Sala Paulo VI com cerca de 1.500 pessoas necessitadas, para testemunhar a "atenção que nunca deve faltar a esses irmãos e irmãs”.

O almoço para os pobres foi servido por 50 voluntários e colaboradores de associações de voluntariado. O menu oferecido pelo papa era composto por lasanha, picadinho de frango com creme de cogumelos, batata assada, sobremesa, frutas e café.
Rádio pública do Vaticano

Brasil tem cinco milhões de pessoas superendividadas


Por Agencia Brasil

“Em oito meses minha dívida com eles cresceu mais de cinco vezes. Eles chegaram a bater na minha casa, criando constrangimento. Tinha noites que eu não dormia achando que eles iam penhorar e leiloar o meu imóvel.” O depoimento é da bancária aposentada Lindaura Luz (nome fictício) que, nos últimos anos, acumulou dívidas de empréstimos consignados, cheque especial e cartão de crédito com dois dos maiores bancos privados do país, após perder parte de sua renda mensal, com o término do aluguel de uma loja na avenida W3 Sul, em Brasília, que herdou após a morte do marido.

Os pesadelos e a visita incômoda de cobradores acabaram quando Lindaura procurou a Justiça para forçar a renegociação das dívidas que tinha junto a dois dos maiores bancos privados do país. O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e de Cidadania Superendividados (Cejusc) do Tribunal de Justiça do DF e Territórios mediou reuniões entre credores e a ex-bancária. As dívidas foram amortizadas e reparceladas. Parte foi quitada e parte está com pagamento em dia.

A história de Lindaura Luz é ilustrativa dos casos de superendividamento no Brasil. Segundo levantamento, ainda em finalização, do Banco Central (BC), há cerca de cinco milhões de pessoas superendividadas em um universo de 83 milhões de tomadores de empréstimo (6% do total).

De acordo com apresentação feita por técnicos do Bacen em evento do Cejusc, em Brasília (31/10), e em simpósio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), no Rio (10/10), o risco de superendividamento é maior quando o mutuário acumula mais de uma modalidade de crédito.

De acordo com apresentação feita por técnicos do BC o risco de superendividamento é maior quando o mutuário acumula mais de uma modalidade de crédito. Em junho de 2019, conforme dados expostos pelo BC, 10 milhões de tomadores de crédito estavam em atraso com seus compromissos. Mais de 9 milhões de pessoas tinham pelo menos mais de uma modalidade de dívida. Dessas, a situação de superendividamento atingia, então, mais da metade (55%) dos endividados.

A condição de superendividamento não tem necessariamente relação com as taxas inadimplência (dívida em aberto há mais de 90 dias). Conforme a página de estatísticas monetárias do site do Banco Central, naquele mês a taxa de inadimplência do crédito consignado era de 3,6% e da aquisição de veículo, 3,3%. O não pagamento em dia do crédito pessoal atingia 7,4%; do cheque especial, 14%; e do rotativo do cartão de crédito, 33,5%.

Gabaritos do Enem serão divulgados no dia 13 de novembro




Por Agencia brasil
Os gabaritos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão divulgado no dia 13 de novembro, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Texeira (Inep). Os participantes fazem hoje (3) as provas de redação, linguagens e ciências humanas. No dia 10, fazem as provas de matemática e ciências da natureza.

Desde as 18h30 deste domingo, os estudantes já podiam sair dos locais de prova com os Cadernos de Questões do Enem, o que ajuda na hora de conferir os gabaritos.

No dia 13, os participantes poderão acessar os gabaritos pelo portal do Inep ou pelo aplicativo do Enem. No total, são seis gabaritos para cada dia e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis.

Segundo o Inep, os candidatos deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Mesmo com o gabarito em mãos, não será possível saber a nota final do Enem. Isso por que o sistema de correção da prova, que segue a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI), não atribui um valor fixo para cada questão.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados também na Página do Participante ou no aplicativo do Enem, em data a ser anunciada, a partir de consulta com CPF e senha. A previsão é de que ocorra em janeiro. 

De acordo com o Inep, o resultado dos participantes eliminados não será divulgado, mesmo que eles tenham realizado o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada 60 dias após a divulgação dos resultados.

Caixa começa a receber apostas para a Mega da Virada


Por Agencia Brasil

A Caixa Econômica Federal começou a receber, hoje (11), as apostas para a Mega da Virada 2019. A estimativa de prêmio para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.220 da Mega-Sena é de R$ 300 milhões. O sorteio será realizado no dia 31 de dezembro.

Como nos demais concursos especiais, o prêmio principal da Mega da Virada não acumula. Caso nenhuma aposta seja premiada com os seis números, o prêmio será rateado entre os acertadores de cinco números ou, ainda não havendo ganhador, de quatro números.

As apostas do concurso especial custam o mesmo valor da Mega-Sena regular, R$ 4,50, e podem ser feitas por maiores de 18 anos em qualquer lotérica do Brasil, usando o volante específico da Mega da Virada. Também é possível apostar pelo portal Loterias Online e pelo aplicativo Loterias Caixa, disponível para usuários da plataforma iOS. Os titulares de conta corrente na Caixa ainda podem fazer suas apostas utilizando o Internet Banking.
Bolão

Os apostadores da Mega da Virada também podem concorrer nos bolões. Basta formar um grupo, escolher os números da aposta, marcar a quantidade de cotas e registrar em qualquer uma das lotéricas do país. Ao ser registrada no sistema, a aposta gera um recibo de cota para cada participante que, em caso de premiação, poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente.

Os bolões da Mega têm preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 5. É possível realizar um bolão de no mínimo duas e no máximo 100 cotas. O apostador também pode adquirir cotas de bolões organizados pelas lotéricas. Basta solicitar ao atendente a quantidade de cotas que deseja e guardar o recibo para conferir a aposta no dia do sorteio. Nesse caso, poderá pagar uma tarifa de serviço adicional de até 35% do valor da cota, a critério da lotérica.

Bolsonaro assina medida provisória que extingue o Dpvat


por Agencia brasil

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (11) medida provisória (MP) extinguindo, a partir de 1º de janeiro de 2020, o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, o chamado Dpvat. De acordo com o governo, a medida tem por objetivo evitar fraudes e amenizar os custos de supervisão e de regulação do seguro por parte do setor público, atendendo a uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Pela proposta, os acidentes ocorridos até 31 de dezembro de 2019 continuam cobertos pelo DPVAT. A atual gestora do seguro, a Seguradora Líder, permanecerá até 31 de dezembro de 2025 como responsável pelos procedimentos de cobertura dos sinistros ocorridos até a da de 31 de dezembro deste ano.

“O valor total contabilizado no Consórcio do Dpvat é de cerca de R$ 8,9 bilhões, sendo que o valor estimado para cobrir as obrigações efetivas do Dpvat até 31/12/2025, quanto aos acidentes ocorridos até 31/12/2019, é de aproximadamente R$ 4.2 bilhões”, informou o Ministério da Economia.

De acordo coma pasta, o valor restante, cerca de R$ 4.7 bilhões, será destinado, em um primeiro momento, à Conta Única do Tesouro Nacional, em três parcelas anuais de R$ 1.2 bilhões, em 2020, 2021 e 2022.

“A medida provisória não desampara os cidadãos no caso de acidentes, já que, quanto às despesas médicas, há atendimento gratuito e universal na rede pública, por meio do SUS [Sistema Único de Saúde]. Para os segurados do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social], também há a cobertura do auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, auxílio-acidente e de pensão por morte”, acrescentou o ministério.

A MP extingue também o Seguro de Danos Pessoais Causados por Embarcações, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não (DPEM). Segundo o ministério, esse seguro está sem seguradora que o oferte e inoperante desde 2016.

Motorista é flagrado desrespeitando a Lei do Descanso em Serra Talhada



Um motorista de caminhão que transportava 15 toneladas de cenoura foi autuado nesta terça-feira (29) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) por desrespeitar a Lei do Descanso do Motorista, em Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco. O homem havia descansado apenas 3h30 nas últimas 24h, quando deveria ter descansado no mínimo 11 horas.

Durante a abordagem no quilômetro 405 da rodovia, os policiais verificaram o tacógrafo e constataram a irregularidade. O equipamento registra os limites de velocidade, distâncias percorridas, tempo de movimento e parada do veículo.

O condutor foi autuado com uma multa no valor de R$130,16 e o veículo foi retido para cumprimento do tempo de descanso necessário.





Pernambuco: 3,8 milhões de pessoas não possuem serviço de coleta e tratamento de esgoto



Em debate na Câmara dos Deputados, o saneamento básico pode ter um novo marco regulatório para incentivar mais investimentos no setor e combater o déficit na cobertura dos serviços de água e esgoto no país.

Números do anuário Panorama do Saneamento, com base em dados do SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, do Ministério do Desenvolvimento Regional, indicam que 3,8 milhões de pernambucanos não têm serviço de esgotamento sanitário, e 1,9 milhão não possui acesso à água potável no estado.

No Brasil, mais de 100 milhões de pessoas não têm acesso a coleta de esgoto e 30 milhões não recebem água tratada em casa. O país precisa no mínimo dobrar a atual média de investimento no setor (R$ 10 bilhões/ano) para conseguir cumprir a meta de oferecer saneamento básico a toda a população até 2033, de acordo com o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab).

O Congresso está discutindo o projeto de lei 3.261/2019, que moderniza o marco legal do saneamento e permite maior participação de empresas privadas no provimento de serviços de saneamento. A perspectiva é que o PL 3.261 seja votado no plenário da Câmara até o final de outubro.

Óleo que vazou foi extraído de três campos na Venezuela, diz Petrobras




Por: Agência Brasil

O diretor de Assuntos Corporativos da Petrobras, Eberaldo Neto, disse nesta sexta-feira (25) que a análise de 30 amostras do petróleo recolhido de praias do Nordeste permitiu concluir que ele foi extraído de três campos de produção na Venezuela. Em uma entrevista coletiva concedida à imprensa para analisar os resultados do balanço do terceiro trimestre de 2019, Neto esclareceu que a companhia agiu assim que foi acionada pela União, no início de setembro, e recolheu 340 toneladas de resíduos das praias.

“A gente fez análise em mais de 30 amostras e concluiu que é de três campos venezuelanos”, disse Neto. “A origem do vazamento é outra coisa. A gente entende que é na costa brasileira”.

O vazamento teria ocorrido no Oceano Atlântico, em uma região no caminho de uma corrente marinha que vem da África e se bifurca, seguindo para a costa setentrional do Nordeste, de um lado, e para a Bahia e o Sudeste, do outro, passando pelos locais onde o óleo tem sido recolhido.

“A gente sabe que foi em um ponto desse de bifurcação que foi a origem do vazamento. Provavelmente, um navio passando ali. As autoridades estão investigando”.

Neto destacou que o fato de o petróleo afundar e seguir para o litoral em uma camada abaixo da superfície do mar dificulta a visualização dele com sobrevoos e satélites e também a contenção dele com barreiras.

“A gente tem um centro de defesa ambiental preparado para isso, mas preparado para um óleo da Petrobras, que vaza de instalação da Petrobras, e a gente localiza a fonte e ataca com os instrumentos mais adequados”, disse o diretor, que explicou que o fato de o óleo submergir quase que inviabiliza a contenção dele antes de chegar ao litoral. “Fica praticamente impossível pegar a montante esse óleo e segurar com barreiras e outros instrumentos que a gente tem. O mecanismo de captura tem sido quando a maré e a corrente jogam para a praia. Infelizmente, tem sido esse o jeito, porque, com os mecanismos que a gente detém, é agulha no palheiro para a gente pegar pelas características do óleo”.

O diretor da estatal afirmou que a Petrobras vai distribuir equipamentos de proteção individual em comunidades do Nordeste para que voluntários possam utilizar os equipamentos para se proteger de possíveis intoxicações no contato com a substância.

Neto disse que o foco da Petrobras é continuar o trabalho e qualquer discussão sobre o valor que será ressarcido à companhia pelos recursos gastos será feita posteriormente.

Receita de Macarrão com atum e azeitona preta


Macarrão com atum Foto:Divulgação

Sem inspirações para sua próxima refeição? Aposte neste macarrão com atum e azeitona preta preparado pela marca Gomes da Costa e aproveite cada garfada.



INGREDIENTES

2 colheres (sopa) de azeite

1 cebola picada

5 dentes de alho picados

1 alho poró médio fatiado

510 g de atum sólido ao natural

Noz moscada ralada a gosto

Sal a gosto

2 caixas de creme de leite

3 colheres (sopa) de azeitonas pretas picadas

2 colheres (sopa) de cheiro verde picado

500 g de macarrão tipo fusilli

Queijo parmesão ralado
MODO DE PREPARO
Numa panela refogue no azeite a cebola e o alho, até dourar levemente.
Junte o alho poró e continue refogando até murchar.
Acrescente o atum escorrido e tempere com a noz moscada e o sal. Abaixe o fogo e adicione o creme de leite.
Misture bem.
Junte a azeitona e o cheiro verde.
Tempere com mais sal se necessário.
Reserve.
Cozinhe o macarrão conforme recomendação da embalagem.
Escorra.
Sirva o macarrão numa travessa e distribua por cima o molho quente.
Salpique com o queijo parmesão.
Sirva em seguida ou leve ao forno para gratinar por alguns minutos.
Por Agencia Brasil

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou, em nota divulgada nesta terça-feira (12), que o governo federal está destinando R$ 144 milhões para assegurar a execução de serviços do Projeto de Integração do Rio São Francisco e outras obras que garantirão o abastecimento da população nos estados de Pernambuco, do Ceará, da Paraíba e de Alagoas. Com esses recursos, os investimentos em projetos para reforçar o abastecimento de água no Nordeste somam R$ 1,4 bilhão em 2019.

O montante contabiliza investimentos para operação e manutenção da transposição do Rio São Francisco nos dois eixos do projeto (Norte e Leste), a recuperação de reservatórios considerados estratégicos e outras obras para ampliar a oferta de água na região. As primeiras obras da transposição foram iniciadas em 2007 pelo Exército.

O Eixo Norte é um canal de 400 quilômetros que faz a captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (oeste de Pernambuco) para alimentação dos rios Salgado e Jaguaribe, com a finalidade de levar água a reservatórios no Ceará, no Rio Grande do Norte e na Paraíba. No Eixo Leste, o canal, que tem mais de 200 quilômetros, leva água ao Rio Paraíba para abastecer reservatórios em Pernambuco e na Paraíba.

Além de viabilizar o fornecimento de água, a execução das obras gera emprego na região. Em Pernambuco, foram aplicados R$ 24,2 milhões no Ramal do Agreste (Eixo Leste), que emprega 2,6 mil trabalhadores. Só no estado, a obra leva águas do São Francisco “a mais 2,2 milhões de pessoas em 68 municípios”, informa o MDR.

Também este ano, os investimentos somam cerca de R$ 77 milhões no Cinturão das Águas do Ceará (CAC). “A expectativa é que, no primeiro trimestre do próximo ano, a água esteja disponível no Reservatório Jati (...) beneficiando os municípios abastecidos pelo Rio Jaguaribe e a Região Metropolitana de Fortaleza - cerca de 4,5 milhões de pessoas”, diz a pasta.

Já o Canal do Sertão Alagoano totaliza R$ 84,1 milhões de investimentos em 2019. Os recursos visam ao funcionamento de um sistema adutor (transporte da água) com captação no reservatório da Usina Hidrelétrica de Moxotó. De acordo com descrição da pasta do Desenvolvimento Regional, essa estrutura parte do município de Delmiro Gouveia e segue até a cidade de Arapiraca “e atenderá mais de 1 milhão de moradores em 42 municípios alagoanos”.

Na Paraíba, o projeto Vertente Litorânea totalizará R$ 36,3 milhões do ministério em 2019. Esse sistema adutor vai integrar bacias litorâneas com as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco disponibilizadas no Rio Paraíba, após abastecer o Reservatório Epitácio Pessoa, em Boqueirão, na Paraíba. “Quando concluídas, as obras irão beneficiar uma população de 630 mil habitantes, com abastecimento humano e água para irrigação e indústria”, prevê o MDR.