O julgamento de Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva, trio que ficou popularmente conhecido como “Canibais de Garanhuns”, estava previsto para começar às 9h desta sexta-feira (23), na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, Ilha Joana Bezerra, área central do Recife. Entretanto, com o não comparecimento da defesa de um dos réus, e numa manobra em que os demais advogados de defesa abandonaram o plenário, julgamento será adiado para o próximo dia 14.

Os réus são acusados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31 anos, no município de Garanhuns, no Agreste pernambucano. A sessão do Júri seria presidida pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti.

O advogado de Jorge Beltrão, Giovanni Martinovich, não chegou. Enviou uma petição para informar que está doente e não poderia comparecer. Diante do não comparecimento do advogado de Jorge ao julgamento, o juiz Ernesto Bezerra decidiu pelo desmembramento do processo, adiando o julgamento do réu em questão e dando prosseguimento ao julgamento das rés. Entretanto, os advogados de defesa de Bruna e Isabel decidiram se retirar do localpara que o julgamento não aconteça. O juiz Ernesto Bezerra vai mandar um ofício à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para analisar a conduta em relação à ausência dos advogados de Jorge.(com informações da Folha de Pernambuco,)

Nenhum comentário:

Postar um comentário