Nos bastidores dos tribunais de Brasília, o próximo dia 23 pode definir a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da cela improvisada da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba. Nesta terça-feira (9/4), o Ministério Público recomendou que o processo do triplex do Guarujá continue na Justiça Federal, o que já era esperado e dificulta o envio da ação para o fórum eleitoral. A expectativa da ida de Lula para a prisão domiciliar envolve outra ponta, um pouco mais complexa, mas cada vez mais factível para quem acompanha os movimentos dos magistrados.

Condenado em primeira e segunda instância no caso do tríplex, Lula teve a pena fixada em 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). O entendimento de juristas é de que, logo depois da Páscoa, mais precisamente no dia 23, a condenação do ex-presidente por corrupção seja mantida no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Lula, entretanto, deverá ser absolvido da acusação de lavagem de dinheiro, acredita a defesa, porque o ex-presidente não incorporou o imóvel, logo não estaria caracterizado o crime de lavagem de dinheiro.


Sérgio Moro condenou Lula a seis anos de prisão por corrupção passiva e três anos e seis meses por lavagem de dinheiro. O TRF-4 aumentou a pena em 29%. Caso ocorra a exclusão do crime de lavagem de dinheiro, a pena poderá ser reduzida de imediato e resultar na progressão de regime. Com mais de um ano de prisão, completados no último domingo, Lula já estaria em vias de cumprir um sexto da pena e, automaticamente, conseguiria a mudança na forma de cumprimento da sentença, indo para o semiaberto. Neste caso, o ex-presidente teria o direito de trabalhar durante o dia, mas o sistema penitenciário não seria capaz de garantir a segurança do petista, o que levaria, por tabela, à prisão domiciliar.


O próprio adiamento do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade da prisão em segunda instância, previsto para hoje, foi adiado — o que levou juristas a considerar uma estratégia de espera para que o STJ defina o futuro de Lula. Contra o petista, há o mito de que a 5º Turma, responsável por julgar o caso, é uma “câmara de gás” para condenados em instâncias inferiores. Nos bastidores do Supremo, corre a crítica de que o STJ e a 5ª Turma têm apenas chancelado as decisões, registrando poucas revisões das ações penais que chegam até a Corte por meio de apelações.


Agravo
O provimento do recurso especial foi negado pelo relator do caso, ministro Felix Fischer. Como a defesa apresentou um agravo, o caso foi enviado para a Turma. Antes de entrar no mérito do pedido, os magistrados precisam decidir se reconhecem as alegações da defesa e aceitam a reclamação, do contrário, a situação do ex-presidente não chega a ser avaliada, e a condenação do TRF-4 fica mantida automaticamente.


Caso o processo seja enviado para a Justiça Eleitoral, o recurso perde o efeito e toda a ação muda de competência. O advogado Daniel Leon Bialski, especialista em direito penal, destaca que as possibilidades de resultado são diversas. “Como os advogados alegam cerceamento de defesa, é possível até mesmo que todo o processo seja anulado, caso isso fique realmente comprovado. Se os ministros não seguirem a posição do relator e reconhecerem o agravo, pode ocorrer também a redução de pena”, destaca.

Fonte Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compre agora aqui com o nosso Parceiro

Três pessoas são detidas com 20,6 kg de maconha em Caruaru



Um casal e um adolescente, de 17 anos, que transportavam 20,6 kg de maconha foram detidos nesta quarta-feira (16), pela Polícia Rodoviária Federal na BR 232, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O veículo utilizado para o transporte do entorpecente possuía registro de roubo e utilizava placas clonadas.
Durante uma fiscalização na rodovia, os policiais deram ordem de parada a um carro, que se evadiu e fugiu em alta velocidade. A equipe realizou o acompanhamento do veículo, que foi abordado no quilômetro 138, próximo ao Sítio Peladas.

Pouco antes da abordagem, um dos passageiros conseguiu fugir e três ocupantes do carro foram detidos. Ao verificar o porta-malas do automóvel, foram encontrados dois sacos contendo diversos tabletes de maconha.

O grupo foi encaminhado junto com o entorpecente à Delegacia de Polícia Civil de Caruaru, que irá investigar o caso.

Rato e flagrado roendo queijo em supermercado


Está circulando nas redes sociais o vídeo produzido por cliente de um supermercado do bairro do Recreio, no Rio de Janeiro. O rato foi visto fazendo a festa em cima de queijos.

O vídeo foi feito no último sábado (12) e mostra o animal andando sobre os queijo e depois roendo uma das embalagens do balcão refrigerado. Revoltados, os clientes acionaram a gerência.

Em nota, o supermercado informou que os produtos do setor envolvido foram recolhidos e devidamente descartados. A empresa também informou que foram realizados procedimentos para garantir a segurança da operação da unidade, onde não foi detectada qualquer infestação, mas a Vigilância Sanitária do Município informou que não foi acionada

PF combate grupo criminoso liderado por presidiários no Maranhão


Por Agência Brasil

Uma organização criminosa especializada em tráfico de armas e drogas é alvo da Operação Intramuros, deflagrada na manhã desta terça-feira (15) em três cidades do Maranhão: São Luís, Imperatriz e Codó. As investigações identificaram líderes de facções que comandavam as ações da quadrilha de dentro dos presídios.

O serviço de inteligência da PF levantou que a organização tinha uma estrutura de comando piramidal com um setor responsável por planejar e realizar tráficos de drogas, armas e outros crimes no Maranhão e em outros estados.

Os policiais federais estão cumprindo 32 mandados de prisão preventiva e 32 de busca e apreensão em endereços dos investigados. As ordens judiciais foram autorizadas pelo juiz Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, da 1.ª Vara Criminal de São Luís.

O nome da operação, Intramuros, é uma referência ao fato de algumas lideranças da organização serem presidiários. Os investigados serão indiciados pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de armas e organização criminosa.

Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 34 milhões


Por Agencia Brasil

Ninguém acertou o prêmio principal da Mega-Sena e o prêmio estimado pela Caixa Econômica Federal para o próximo concurso é R$ 34 milhões.

As dezenas do concurso 2.197, sorteadas nesta segunda-feira (14), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo, foram as seguintes: 03 - 11 - 29 - 35 - 44 - 57.

A quina saiu para 150 apostas e cada uma vai pagar R$ 20.886,96. A quadra teve 7.727 ganhadores. Eles vão receber, cada um, R$ 579,23.

O concurso 2.198 será realizado na próxima quarta-feira (16). As apostas podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa, em todo o país. O bilhete simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 3,50.